18 de out de 2012

INTOLERÂNCIA A TODO VAPOR!



Os homossexuais, principalmente ‘masculinos’ gostam de chamar a atenção do público. E quando vão mexer com cristãos aí é que o bicho pega! Eles estão sempre criticando os religiosos de serem “fundamentalistas ignorantes e intolerantes”,  que querem atacar a todo custo um grupo minoritário e “inocente” que só quer paz e amor. Mas quando paramos para analisar as atitudes de alguns homossexuais, podemos começar a achar que acontece o contrário.

O novo caso foi o da revista Gay “Junior”, que traz em sua capa a foto de um modelo segurando um crucifixo como um “protesto à “cruzada que os cristãos estão fazendo contra os homossexuais para derrubar direitos já garantidos, como a união civil e a proibição de terapias de cura da homossexualidade””.(FONTE)
 
Com uma imagem como essa ao lado, fica bem complicado saber quem são os intolerantes agora. Quer dizer, se esquecem eles de que a maioria vence. Não que a maioria brasileira seja cristã, mas sim  Heterossexual e que quer respeito. Mas como o egoísmo rola solto por parte deles, eles só querem ver o lado deles e se colocam como vítimas de um povo intolerante, sendo que eles é que são os intolerantes ao impor a vontade deles a todos!

Os homossexuais passam a imagem de pessoas legais, em busca de viver o seu ‘Amor’ em paz, fazendo com que cristãos fiquem com a imagem de pessoas revoltadas e desequilibradas. Ninguém enxerga que eles eles não são mortos pelas mãos de cristãos, mas pelas mãos de pessoas realmente intolerantes. Porque o cristão de verdade se deixa guiar por 1 Jo. 4:7-8.
“Queridos amigos, amemos uns aos outros porque o o amor vem de Deus. Quem ama é filho de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não O conhece, pois Deus é amor.” (Só lembrando que quem ama também repreende o erro, o que é bem diferente de julgamento e condenação!)

Nós, os cristãos, é que estamos sendo perseguidos e mortos por nosso “moralismo”,  e mesmo assim não levantamos arma alguma em nossa defesa. Nos resta apenas a indignação com algumas pessoas que nos colocam como um lobo faminto prontos para devorar as “ovelhas” que eles supõe ser. O que nos conforta ao mesmo tempo é que o tão esperado Dia do Resgate está mais próximo. Porque estava escrito que: “nos últimos dias vão aparecer homens dominados pelas suas próprias paixões. Eles vão zombar de vocês… [e] Estão sendo guardados para o Dia do Julgamento e da destruição dos que não querem saber de Deus.” II Pe. 3:3, 7.

É quando com muito pesar diremos: “Nós tentamos avisar!”

27 de set de 2012

O "CRISTÃO" E A POLÍTICA



Em época de eleições, sempre afloram nas igrejas as mesmas questões: o crente deve se envolver com política? Como votar corretamente? É ético fazer campanha para algum candidato dentro da igreja? O líder pode indicar em quem os fiéis devem votar? Como escolher o melhor candidato?
Não pretendo aqui discorrer sobre todas as polêmicas criadas em torno do tema “O cristão e a política”. Mas, como o dia da votação se aproxima, creio que alguns conselhos sobre o assunto viriam em boa obra.

1. Política é, sim, coisa pra cristão.
Muitos argumentam que “a política é suja e por isso o crente deve manter distância dela”; mas por que razão estamos neste mundo se não para sermos sal e luz em meio à degradação? Não há nada novo debaixo do sol, disse o sábio rei Salomão. Basta uma rápida olhada nas nações e impérios do mundo antigo para descobrir que corrupção, ambição, propina, conchavos, falta de decoro, traições e jogos de interesse sempre existiram.
É fato que existe muita sujeira no meio político, mas isso não justifica que o cristão decida não se envolver. Cruzar os braços e se omitir diante da injustiça social é pecado (Tiago 4:17).
Cada servo de Deus neste mundo é convocado para fazer diferença nesta geração, e isso é muito mais do que entoar hinos dentro de um templo. Significa provocar uma transformação positiva, usar o poder do Evangelho para influenciar a sociedade, condenar o pecado, fazer o bem, pregar a justiça, defender os pobres e oprimidos. Esta é a nossa missão! É justamente a omissão dos justos que faz com que a injustiça prevaleça. É tempo da igreja sair de dentro de suas quatro paredes e assumir funções de liderança em centros comunitários, sindicatos, comitês estudantis, organizações não governamentais e cargos políticos.

2. Igreja: falar sobre política sem fazer campanha eleitoral.
É comum que pastores façam alianças com candidatos, trocando os votos de sua igreja por algum favor em benefício da congregação local. Votar em alguém porque tal pessoa prometeu doar tijolos para a construção do novo templo é simplesmente insano. Quem pensa que político deve ser eleito para defender os interesses de uma determinada igreja, ainda não sabe o que é política. É preciso compreender a real função de cada cargo nas estâncias municipal, estadual e federal e escolher os candidatos com base na sua capacidade em exercer essa função.
Pastores e líderes espirituais que usam sua influência para formar verdadeiros “currais eleitorais” estão traindo o ministério para o qual foram chamados. O púlpito de uma igreja é um lugar profético e não deve ser usado como palanque de candidatos.
Isso não significa que a igreja deve se limitar a falar somente sobre assuntos estereotipados como “espirituais”. Não somos deste mundo, mas vivemos nele. Sendo assim, penso que o púlpito precisa sim orientar o povo a viver o cristianismo na prática, ensinando o que a Bíblia diz sobre ética, política, trabalho, sistema de governo, leis, relações internacionais, meio ambiente, etc, etc, etc.

3. Conheça bem os candidatos e vote com sabedoria.
Não vote em alguém só porque é famoso ou tem boa aparência. O que faz um bom político não é a elegância ou o estrelismo, mas seriedade, competência, experiência e compromisso social.
Não escolha um candidato apenas porque ele freqüenta uma igreja evangélica. Ser membro de uma igreja não significa que a pessoa é cristã, e ser cristão não significa que a pessoa tem vocação para a política. Com certeza, o temor de Deus é prerrogativa essencial no caráter de qualquer pessoa, mas é preciso mais do que isso para exercer um cargo político.
Escolha pessoas com integridade moral. Essa história de que “rouba, mas faz” e “é corrupto, mas ajuda muita gente” não condiz com os critérios que devemos adotar. Devemos lutar para que os representantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário no nosso país sejam defensores dos princípios e valores que nós defendemos: honestidade, justiça, família, liberdade religiosa… Votar em pessoas que defendem o aborto, a legalização do jogo e das drogas, a pornografia e a oficialização do casamento homossexual, por exemplo, contraria aquilo em que acreditamos.
Cuidado com pastores e cantores evangélicos que decidem se candidatar. O Ministro do Evangelho foi chamado por Deus para pregar, pastorear, evangelizar, fazer discípulos, batizar, ensinar, curar. Não se trata de uma profissão, mas uma missão. Engajar-se na política pode fazer com que a pessoa perca o foco dessa missão e termine por não fazer nem uma coisa nem outra.
Não vote em alguém somente para não “perder o voto” ou para mostrar indignação. Escolher o candidato apenas com base nos resultados das pesquisas é uma omissão vergonhosa, onde se encaixa a velha descrição de “Maria-vai-com-as-outras”. Por outro lado, votar em quem você acha ridículo como forma de protesto só vai contribuir para que esses “ridículos” assumam o controle do país. Sejamos responsáveis e usemos a inteligência que Deus nos deu para votar com discernimento e consciência.
Não decida seu voto com base em promessas de campanha. Falar é fácil. Todos prometem investir em saúde, educação e segurança. Os discursos são feitos de acordo com aquilo que o povo quer ouvir. Gaste um tempo conhecendo o passado de cada candidato, sua capacidade administrativa, competência política, realizações e experiências naquela área.

Conclusão
Que possamos glorificar a Deus exercendo a nossa cidadania com esperança e responsabilidade.
Escolher pessoas com capacidade política e princípios cristãos é o nosso desafio em cada processo eleitoral. Nem sempre vamos acertar, mas o importante é não desistir. Afinal, não poder fazer tudo não justifica não fazer nada. 

Texto: Pra. Marcia Rezende
Fonte: Ser Igreja 

14 de set de 2012

JESUS NA VEIA "LITERALMENTE"



Muitas mega-igrejas nos Estados Unidos usam uma quantidade enorme de neuroestimulação sensorial em seus cultos, algo que os pesquisadores da Universidade de Washington rotularam como dramaturgia, pompa sensorial, liderança carismática e uma visão otimista, dando aos participantes uma poderosamente e emocionante experiência religiosa.

“Ser membro de uma megaigreja é uma das principais formas de os cristãos americanos adorarem nestes dias, assim, portanto, essas igrejas devem ser entendidas”, disse James Wellman, professor associado de religião americana na Universidade de Washington. “Nosso estudo mostra que  ao contrário da opinião pública que tende a passar de longe do movimento megaigreja como religião consumista. As megaigrejas estão fazendo um trabalho muito eficaz para os seus membros de fato, seus os membros falam eloquentemente de seu crescimento espiritual”.

Em 2008, uma doação a Sociedade para o Estudo Científico da Religião financiou um estudo de Wellman e co-autores Katie E. Corcoran e Kate Stockly-Meyerdirk, estudantes da Universidade de Washington de pós-graduação em sociologia e religião comparada. Os pesquisadores estudaram dados fornecidos pela liderança de 12 megaigrejas de todo o país.

Os resultados da descoberta foram divulgadas na 107 Reunião Anual da Associação de Sociologia Americana, em um artigo chamado: ‘Deus é como uma droga’: Explicando a Interação Ritual em Correntes de MegaIgrejas Americanas.
Na pesquisa foram incluídas como megaigrejas, aquelas que têm mais de 2 mil membros. Foi descoberto que igrejas cresceram tremendamente no tamanho e na popularidade nos últimos anos e dominou todo o país. Mais da metade dos americanos frequentam 10% de algumas des maiores igrejas em torno país.

Muitas destas igrejas se apresentam como “venha como você está”, incluindo o rock cristão e outros Neurosensoriais itens, que Wellman chama de “mistura multi-sensorial”, dos visuais e outros elementos para estimular os sentidos. Além disso, muitas destas igrejas incluem em seus serviços um pregador carismático, que também estimula os sentidos.
Os pesquisadores supuseram que tais rituais são bem sucedidos por transmitirem uma energia emocional no ambiente do templo “criando nos membros sentimentos e símbolos carregados de significado emocional, e uma elevada sensação de espiritualidade”, escreveram eles.

Foram analisada no estudo 470 entrevistas e 16.000 questões, perguntando aos membros sobre suas experiências emocionais em megaigrejas e constatou que quatro temas surgiu a partir dessas entrevistas e pesquisas.
Os quatro temas que foram encontrados “salvação/espiritualidade, aceitação /pertencimento, admiração e orientação do líder, moralidade e propósito através do serviço.”
As pesquisas também descobriram que sentimentos de alegria surgiram de tais serviços claramente superiores ao das experiências de conversão. Muitos membros de megaigrejas usaram a palavra “contagiosa” em relação aos serviços e afirmou que muitas pessoas vieram aos cultos famintos por uma experiência emocional. Depois do serviço, declarou um sensação de ‘energizado’.

Um membro da igreja disse: “O Espírito Santo passa pela multidão como um time de futebol fazendo a onda…. Nunca vi isso em nenhuma outra igreja.”

Wellman relaciona esses sentimentos que as pessoas experimentam como uma alta droga.
Wellman disse: “Isso é o que você vê quando você entra em megaigrejas, você vê as pessoas sorrindo, pessoas que estão dançando nos corredores, e, em uma megaigreja de San Diego, uma mistura inter-racial que eu nunca vi em qualquer lugar no meu tempo fazendo uma pesquisa sobre igrejas americanas. Vemos esta experiência de pura alegria repetidas vezes na megaigrejas. É por isso que digo que é como uma droga”.

Ele também afirmou que as mensagens reconfortantes ministradas pelos pregadores destas megaigreja, também é a chave para o sucesso.
“Como é que você vai dominar o mercado? Você lhes dá uma forma genérica de cristianismo que é otimista, emocionante, e edificante.”
Os pesquisadores também descobriram o enorme número de atendentes que contribuem com o sucesso de megaigrejas, em vez de impedi-la. Os recursos utilizados para adquirir a mais alta tecnologia, também ampliam as experiências emocionais para as pessoas que frequentam as igrejas, bem como a capacidade de contratar líderes que são mais qualificados.

Wellman disse: “Isto não é como o revivalismo evangélico. É uma forma nova e híbrida do cristianismo, que é mutante e separada de todas as instituições tradicionais com as quais o cristianismo é geralmente afiliado”.
Wellman também afirmou que as megaigrejas referem-se ao céu e inferno, chamando-os de mundos distantes e sombrios,  e de antiga capela de julgamento de puritanos.

4 de ago de 2012

MAIS UM EFEITO COLATERAL DA PORNOGRAFIA


Seu namoro anda mal? A culpa pode estar no sexo – mais especificamente, no consumo de pornografia. Um estudo conduzido pela Universidade de Denver, nos Estados Unidos, analisou a vida íntima de uma série de casais e constatou que assistir a filmes eróticos constantemente pode acabar com um relacionamento.

Os pesquisadores escolheram 1.291 casais aleatórios de namorados. Enquanto quase 77% dos homens admitiram consumir pornografia, apenas 31% das mulheres responderam que também acompanham conteúdos eróticos vez ou outra. Foram analisados aspectos como a comunicação entre as pessoas, a satisfação sexual e a infidelidade.

Os resultados surpreendem: os casais considerados mais felizes foram aqueles que negaram o consumo de pornografia, apesar de terem uma vida sexual mais movimentada. Os namoros que mais balançam são os que contêm um ou os dois membros da relação que curtiam filmes adultos – e a culpada seria a taxa de infidelidade, que cresce bastante neste caso.

A culpa é da tecnologia
Quem passou a adolescência nas últimas décadas sabe bem como era o acesso aos materiais pornográficos. Os meios eram bastante escassos: os canais abertos na televisão contavam com sessões especiais nas madrugadas, enquanto quem conseguia um exemplar da Playboy, por exemplo, era considerado herói pelos amigos.

Hoje em dia, a internet é o grande veículo desse material. Navegando pela rede, a pessoa tem acesso pago ou gratuito à pornografia a qualquer hora do dia, bastando apenas escolher ao que deseja assistir. Se levarmos em conta o estudo, isso significa que, indiretamente, é a web a responsável por separar cada vez mais casais. Será que vale a pena?

Mais um estudo comprova os malefícios de se consumir pornografia. Anteriormente um estudo divulgado apontou que a pornografia causa disfunção erétil, mas como vemos ele causa mais problemas do que se parece. Se seguíssemos o que a Bíblia diz, com certeza não haveria esses problemas.

Por ultimo meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente.” Fp. 4:8.

5 de jul de 2012

EFEITO COLATERAL: PORNOGRAFIA


Ela é cativante, quente, excitante e boa. Aparentemente sem males, ela conquistou o mundo masculino com  sua maneira de abordar o sexo. Ela se divide entre pecado e algo até benéfico na formação sexual. Mas um recente estudo feito pela Universidade de Pádua, na Itália apresentou um estudo que, para os considerados conservadores já serve de argumento para o posicionamento contra esse terrível mal. 

Esse estudo afirma que “o excesso de pornografia na internet pode causar disfunção erétil, além de diminuir a libido nos homens.
Os pesquisadores chegaram a essa conclusão pelo fato do conteúdo pornográfico na web ser muito vasto. Ao se tornar algo tão corriqueiro, a pornografia diminuiria a concentração de dopamina, neurotransmissor que ativa a sensação de prazer no cérebro. Ao serem ativados constantemente por vários tipos de imagens sexuais nas mais diversas posições, esses neurotransmissores são reduzidos, o que faz com que todas essas situações se tornem algo normal, sem o mínimo de capacidade de excitação.

A pesquisa contou com 28 mil voluntários italianos. De acordo com Carlo Foresta, da Sociedade Italiana de Andrologia e Medicina Sexual (SIAMS), muitos homens que iniciam desde cedo (por volta dos 14 anos de idade) um consumo excessivo de sites de pornografia e permanecem com o vício até os 20 anos, se habituaram a acessar imagens mais pesadas, principalmente após desenvolverem sua sexualidade.

"Tudo começa com links mais suaves, depois sites pornográficos pesados. Depois há uma queda geral na libido, e no final torna-se impossível obter uma ereção. No entanto, a condição não é irreversível, e com a assistência adequada é possível se recuperar dentro de alguns meses", afirma Foresta”.
(Fonte Olhar Digital)

OBS: Infelizmente a  disfunção erétil não é o único problema causado pelo consumo da pornografia, provavelmente o pior de todos é o vício, que atinge não somente o ‘consumidor’ mas também toda a família do individuo. Atualmente o  que mais vemos são homens ainda jovens buscando uma solução para vários problemas sexuais, além dos problemas emocionais e espirituais causados pelo terrível vício da pornografia. A cada dia essa indústria tem destruído gradativamente inúmeros homens pelo mundo, os quais muitos buscam ajuda para se livrar desse mal.

As famílias também sofrem muito, pois a partir do momento em que o sacerdote da família se contamina com esse mal, se perde a conexão com Deus, deixando uma brecha para que o Rebelde entre em ação. Logo a esposa sofre pelo marido ausente durante a noite, pelo marido que só tem olhos e desejos pelas mulheres perfeitas dos conteúdos pornográficos. Os filhos também sofrem pela ausência de um pai que prefere ficar trancafiado em um quarto contaminando-se com o pornô, ao invés de manter contato com eles.
Quantos homens tem sofrido com esse mal que sempre leva a outros males como a masturbação? Quantos pais de famílias estão aprisionados? Quantos jovens e adolescentes estão consumindo essas porcarias e estão aos poucos viciando-se e aprisionando-se nessa terrível cadeia que é quase invencível? 

Quantas mulheres tem sofrido com o avassalador desejo sexual de muitos homens que são impulsionados pela pornografia, principalmente em tratar tais mulheres como meros objetos de prazer como é mostrado nesses conteúdos? Quantas vidas o Rebelde tem destruído usando essa terrível arma?
Se você é um desses que tem sofrido com a pornografia, saiba que há solução não apenas para sua possível ‘disfunção’ mas também para libertar-se desse terrível vício. Antes de tudo você precisa ter fé que Deus pode ajudar você, e que você também precisará lutar, e tomar atitudes drásticas. Não espere que do nada Deus tire de você esse vício, antes tenha fé de que Ele pode te transformar e tome atitudes!

Abaixo dou algumas dicas de como você pode vencer ou ao menos controlar tal vício:
 “1º – Mantenha-se longe de qualquer estimulo, evite piadas de conotação sexual ou imagens com leve erotismo na Tv.
2º – Se o consumo é por internet, evite ficar sozinho no quarto ou escritório mesmo que seja a trabalho, assim você não estará dando brechas para ceder à tentação.
3º – Evite ficar muito tempo conectado à internet principalmente por dispositivos móveis, como SmartPhones ou Tablets, os quais você pode reservar-se facilmente em um local e ter acesso a esses conteúdos.
4º – Não fique navegando quando você já não tiver mais nada para fazer, pois essa é uma grande brecha, e o Rebelde se aproveitará dela. Saia, leia, pratique um esporte, ocupe-se em algo, logo será mais fácil resistir se a tentação ainda insistir em vir.
5º – Procure não ficar tanto tempo sozinho em casa vulnerável à internet ou Tv à cabo, é pornô na certa!
6º – Não use a pornografia como anti-stress ou antidepressivo, assim como uma droga você logo ficará viciado, e igualmente será complicado deixar o vício. Procure outra atividade ou simplesmente busque ajuda psicológica caso você tenha atingido algo compulsório ou viciante.
7º – Quando for ver pornô lembre-se da família. Veja o quanto eles podem estar sofrendo por sua ausência ou indiferença, mesmo que não saibam o que você está fazendo. E se souberem motive-se a não querer desapontá-los.
8º – Nunca esqueça que Deus está te vendo, e que assim como sua família, Ele se entristece com suas quedas. Portanto dê um motivo para rejeitar a tentação: o de não querer desapontar Deus!
9º – Pense em si mesmo. Veja o quanto você está sendo prejudicado, e decida-se a lutar contra esse vício!
10º – E o mais importante de tudo: Busque a ajuda da parte de Deus. Ore, clame, principalmente quanto a tentação te apertar. Você com certeza não vai vencer sempre, mas algumas vezes sim, e aos poucos quando você menos perceber estará livre desse terrível mal.

Talvez essas dicas não te ajudem efetivamente, mas é preciso tentar. É preciso ter força de vontade para ser liberto. Entregue-se a Deus, tenha fé, e com certeza você irá obter a vitória. Por mais que pareça que está perdendo, lembre-se que Deus está ao seu lado te fazendo vencedor.

8 de mar de 2012

O "CRISTÃO" E O VINHO


Vamos conhecer sobre o que a Bíblia diz sobre o vinho...
Mas antes disso vamos entender o que significa exatamente a palavra vinho descrita várias vezes na Bíblia.
Vinho é o nome dado ao suco extraído do sumo de uvas frescas. Esse processo de extração se dá em grandes vasilhas de madeira chamadas nos tempos bíblicos de “lagares”, as uvas eram pisadas até ser extraído o suco, esse suco em contato com o ar sofre uma contaminação por um fungo chamado levedura, esse fungo faz com que o suco de uva passe pelo processo de fermentação que dá à bebida um teor alcoólico.

O fermento usado para outros preparos era extraído da espuma da fermentação do suco de uva...

Yayin ou Tirosh?
No antigo testamento, há duas palavras hebraicas traduzidas por “vinho”, a primeira palavra, a mais comum, é yayin, usada 141 vezes no Antigo Testamento para indicar vários tipos de vinho, seja fermentado (alcoólico) ou não-fermentado. Observe, por exemplo, o texto de Neemias 5:18, que fala “vinho de todas as espécies”. Isto significa que a palavra yayin aplica-se a todos os tipos de suco de uva, seja ele fermentado ou não.
Desta forma, yayin pode muito bem ser utilizado tanto para o vinho alcoólico quanto para o suco de uva não fermentado.

Vejamos algumas ocorrências de yayin no antigo testamento.
Para vinho fermentado (alcoólico):

Para suco de uva doce não alcoólico:

A outra palavra hebraica traduzida por “vinho” é Tirosh, que significa “vinho doce” ou “vinho da vindima”.
Tirosh ocorre 38 vezes no Antigo Testamento; Essa palavra nunca se refere à bebida fermentada, mas sempre ao sumo fresco não-fermentado da videira ainda no cacho de uvas ou o suco doce de uvas recém colhidas.

Algumas ocorrências de Tirosh:

É interessante perceber que, sempre que o vinho alcoólico e embriagante é citado no Antigo Testamento, é citado para demonstrar alguma tragédia familiar ou alguma maldição.

A palavra grega utilizada para se referir a vinho no Novo Testamento é “oinos”. Na bíblia ou na literatura secular da época, a palavra “oinos”, assim como “yayin” do Antigo Testamento, pode referir-se aos dois tipos de suco de uva: o não-fermentado e o fermentado (alcoólico).


E qual a relação de Deus com o vinho?
Antes, vamos entender o que a bíblia diz sobre o fermento (que era extraído da fermentação do suco de uva).

Quando foi determinada a festa Páscoa, Deus deixa claro que o fermento era um agente contaminador e que representava impureza:
Durante sete dias comam pão sem fermento. No primeiro dia tirem de casa o fermento, porque quem comer qualquer coisa fermentada, do primeiro ao sétimo dia, será eliminado de Israel. Ex 12:15

Assim era também nas ofertas oferecidas ao Senhor:
Se um de vocês trouxer uma oferta de cereal assada no forno, seja da melhor farinha: bolos feitos sem fermento, amassados com óleo, ou pães finos sem fermento e untados com óleo. Lv 2:4

No Novo Testamento Jesus associa o fermento à doutrina “corrupta” dos Fariseus e dos Saduceus.
Disse-lhes Jesus: “Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e dos saduceus”. Mt 16:6

Deus também se refere ao vinho como algo impuro (profano).
Você e seus filhos não devem beber vinho nem outra bebida fermentada antes de entrar na Tenda do Encontro, senão vocês morrerão. É um decreto perpétuo para as suas gerações.
Vocês têm que fazer separação entre o santo e o profano, entre o puro e o impuro, Lv 10:9-10

Então porque Jesus em seu primeiro milagre transforma água em vinho (“oinos”)(Jo 2:1-11)?
Muitos utilizam-se levianamente dessa passagem bíblica para justificar que o consumo do álcool não contraria a palavra do Senhor.
Ora, o versículo de Jo 2:3 deixa claro que o vinho produzido por intermédio do milagre de Jesus só foi servido após todo o vinho reservado para a festa ter sido consumido, quando todos haviam bebido fartamente. Desta forma deveríamos acreditar que era fermentado e, que o primeiro milagre de Jesus, que tanto advertiu para os perigos da embriagues, foi fornecer pelo menos 500 litros de bebida embriagante para que os convidados que já haviam se fartado a beber se embriagassem ainda mais???
Se em 1Co 6:9-10 Paulo coloca os bêbados junto dos ladrões e dos adúlteros, como poderia Jesus compactuar com o consumo de álcool?
Então fica claro que o vinho (“oinos”) daquela ocasião era não-alcoólico...

E quanto à bebida servida na ceia do Senhor?
Nem Mateus, nem Marcos, nem Lucas, utilizam a palavra “oinos” para descrever a bebida da ceia, os três primeiros evangelhos empregam a expressão “fruto da videira” (Mt 26:29  Mc 14:25  Lc 22:18).

O vinho não-fermentado é o único “fruto da videira” sem fermentação e, portanto sem álcool.
Jesus instituiu a ceia do Senhor quando ele e seus discípulos celebravam a Páscoa. A lei da Páscoa em Ex 12:14-15 proibia durante a semana daquele evento a presença de fermento ou qualquer agente fermentador tanto no vinho quanto no pão.
Jesus, filho de Deus cumpriu a lei em todas as suas exigências (Mt 5:17).
Logo, teria cumprido a lei de Deus para a Páscoa e não teria usado vinho fermentado (alcoólico).
O sangue puro de Cristo jamais poderia ser representado por algo corrompido e fermentado.

Outra passagem bíblica que é largamente explorada por aqueles que defendem o consumo das bebidas alcoólicas, está em 1Tm 5:23 que diz:
Não continue a beber somente água; tome também um pouco de vinho, por causa do seu estômago e das suas freqüentes enfermidades.

Aqueles que defendem o uso da bebida esquecem, contudo, de observar o que diz o próprio Paulo em 1Tm 3:2-3, quando aconselha a Timóteo sobre o comportamento daquele que aspira ao episcopado, uma das qualidades destacadas é que o mesmo seja “não dado ao vinho”.

É ridícula a afirmação de que o conselho de uso medicinal do vinho dado por paulo seja desvirtuado para apoiar o consumo de bebidas alcoólicas. Muito pelo contrário, o fato de Paulo precisar recomendar que seu discípulo fizesse uso do vinho e ainda explicar-lhe
Que tal utilização se daria para fins medicinais indica que Timóteo, homem de Deus e cheio do Espírito Santo de Deus, não consumia nenhum tipo de bebida alcoólica.

E essa história de que beber um pouquinho não é pecado, e que só é pecado se você se embriagar?
Isso é mentira do Diabo...
Porque se uma taça de vinho já é suficiente para você ser pego no teste do bafômetro, então imagina no teste do pecadômetro... rs

A palavra do senhor que serve de lâmpada para os pés do justo não deixa margem alguma de dúvida neste assunto. O consumo de bebida alcoólica é pecado, e como tal afasta o homem de Deus.
Buscar, neste caso, exemplos bíblicos para justificar o consumo da bebida equivale a apoiar também o divórcio fácil, poligamia e escravidão que foram, igualmente, alvo da tolerância de Deus. Coloca-se também a Bíblia, injustamente, como co-responsável pelas tragédias decorrentes da indulgência com as bebidas fermentadas. Os costumes e práticas dos antigos, alvo da tolerância de Deus, não refletem necessariamente a vontade divina.

Não se deixe seduzir, não se deixe enganar. O “cristão” NÃO deve consumir qualquer bebida alcoólica, em qualquer quantidade, sob nenhum pretexto...