7 de dez de 2011

O "CRISTÃO" E A TECNOLOGIA

Como você tem usado a tecnologia disponível à suas mãos???
...
Estamos vivendo a era do celular, da internet e suas redes sociais... É época da exposição dos nossos sentimentos e das nossas opiniões... É época do conhecimento acessível.

Mais será que toda essa tecnologia tem nos aproximado ou nos distanciado de DEUS e das pessoas???
...
Li uma frase interessante no “Facebook”: 
Quer falar ilimitado???          Vai à casa dele(a)...
Reflexão.....?????.....!!!!!.....$&£¢#@%§*

E quanto ao conteúdo que acessamos na internet. Será que estamos honrando a DEUS com o que vemos???
Quanto tempo temos perdido nos bate-papo e redes sociais???
...
Um grande amigo me disse que se você perder “duas horas” com futilidades, você tem que dedicar pelo menos este tempo às coisa de DEUS...
Reflexão............????????????......!!!.......@#%£¢...  Eu concordo...
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.
2 Timóteo 2:15


E o que você tem publicado nas redes sociais???
Você tem usado esta ferramenta pra evangelizar???
A igreja que sou membro tem como lema: Jesus, em todos os lugares, de todas as formas...
Então porque não usar essa ferramenta para alcançar vidas?...

Infelizmente vejo poucos “cristãos” publicando coisas que valem a pena...
O que mais tenho visto é: apologia a bandas do mundo, piadas maliciosas, pensamentos nefastos, discussões tolas, desabafos descontrolados, etc...
Vejo pessoas se posicionando como contra ou a favor de coisas que nem sabem ao certo o que significa ou representa...

Isso tudo sem falar no futebol né...
Virou moda “cristãos” se esconderem atrás de times de futebol para poder despejar sua raiva e desrespeitar torcedores de outros times....

Mais apesar de tudo isso eu (ainda) gosto das redes sociais, porque também tem coisas interessantes e engraçadas... #fato
Não devemos parar de nos divertir e muito menos nos tornar religiosos...
Porém, eu acho que devemos prestar mais atenção naquilo que compartilhamos, lembrando sempre que somos (ou deveríamos ser) imitadores de Cristo...
Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm.
OK? 

24 de set de 2011

RESPOSTA MUSICA (LOUVOR) Parte 1

Recebi vários comentários, muitos elogios e algumas críticas, dentre essas críticas uma feita por uma filha de missionários chamada Raquel me incomodou (veja o comentário aqui).
Primeiramente eu nunca escrevi que certas musicas (ritmos) pertencem ou não a Deus, ou agradam ou não a Deus, mas sim que nós mesmos a tornamos inadequadas... vou usar como exemplo o funk.
O funk de um jeito ou de outro sempre nos leva a cometer algum tipo de “imoralidade sexual” (sendo pelos cantores, letras ou as danças)...
E se usássemos letras como as do hinário cristão neste tipo de ritmo?
Nada mudaria, porque o que o funkeiro está interessado mesmo é em requebrar...
Então dê funk para quem quer requebrar... E dê de Deus pra quem quer adorar...

Outra questão é a visão missionária...
Eu trabalho para Deus em várias frentes e tenho o total conhecimento que para cada cultura é necessário uma postura diferente de evangelização, e é assim que a bíblia nos orienta...
E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei.
Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei.
Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. (I Coríntios 9:20-22)
Apóstolo Paulo disse: “Fiz-me de tolo para ganhar os tolos e sábio para ganhar os sábios”.

Se fazer de tolo para ganhar os tolos não significa que devemos cometer as mesmas práticas que os tolos fazem ao violar as práticas cristãs. Ai está o grave problema de interpretação neste versículo, muitos o usam só para o próprio ego para tornar suas práticas menos errantes ao seu ver, usando interpretações deturpadas de versículos como este (I Cor 9:20). Ou seja, muitos usam versículos como este para legalizar suas praticas mundanas e anti-bíblicas...

E quanto aos formalismos das igrejas?...
Eu acho que não podemos perder a identidade...
O ponto inicial de fazer missões neste século é manter a identidade. Com o Evangelho fácil que tem chegado ao mundo nos dias de hoje, muitas igrejas estão iguais ao mundo.
E quando o mundo olhar para a Igreja e vê-la de forma igual a ele, a Igreja terá deixado de ser referência para ser mais uma organização igual às demais. A Igreja tem que ser diferente para manter a ordem no mundo; e se ninguém consegue manter a ordem, a Igreja deverá conseguir. O mundo precisa urgentemente de mudanças principalmente na ordem espiritual, e a Igreja é a única referência.
Muitos líderes sem preocupação com as almas encenam uma “compaixão”, e fazem todo tipo de representação para conquistarem as pessoas, e até conseguem, mas o que observamos é que com a mesma rapidez que crescem, também acabam.

Estamos no mundo, mas não somos do mundo, somos diferentes e a nossa identidade não pode ser trocada. Custe o que custar, a Igreja precisa continuar sendo a referência.

Ellos Koral e Coral Kemuel lindo demais...

27 de ago de 2011

MUSICA (LOUVOR) Parte 3

Apenas cantores ou “Verdadeiros Adoradores”?
Esse é um assunto complexo (polêmico)...
Com o aumento das igrejas evangélicas está havendo uma busca desenfreada por músicos para compor os grupos de louvor... Mas será que estes músicos estão preparados para esta função? (não falo de técnica musical).

É inegável a influência que os músicos exercem sobre a igreja, e sabemos que eles junto aos pastores são responsáveis pelo clima e andamento dos cultos, e por estarem em lugar de destaque, são mais observados em suas atitudes dentro e fora da igreja.
E os comportamentos destes músicos acabam influenciando grande parte da igreja, principalmente os que fazem parte dos seus círculos de amizade.
Sabendo disso tudo, então qual é o critério para escolha dos músicos para os grupos de louvor das igrejas???
Ser musico? Ser cristão? Ser membro? Ser dizimista? Ser um “verdadeiro adorador”??
No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o pai procura.
Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. (João 4:23-24)

Pra mim o ideal é que seja preenchido todos esses quesitos citados a cima...
Mas será que isso acontece na prática?
Difícil né...
E como saber se o músico é um “verdadeiro adorador”?
A palavra de Deus diz que conhecemos uma arvore pelos seus frutos.
"Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom.
Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiros, nem uvas de ervas daninhas. (Lucas 6:43-44).

Com certeza certos frutos de alguns desses músicos não se encaixam em ser um “verdadeiro adorador”.
Como por exemplo: Atitudes inconvenientes durante os cultos, namoricos “estranhos”, bebedices, baladinhas, apologia a bandas do mundo (leia o post anterior), etc...
Sem falar na falta de humildade (alguns desses músicos agem como verdadeiros astros do rock).

A minha opinião é, que se o critério de escolha dos músicos dos grupos de louvor for o mesmo critério usado pelas bandas do mundo, então é melhor tocar o bom e velho playback...

                               "Adoradores" (Min. Saulo Rocha)

20 de jul de 2011

MUSICA (LOUVOR) Parte 2

O que podemos ou devemos ouvir?
Será que só podemos (devemos) ouvir musicas evangélicas (gospel)?
Para nos cristãos só existem dois tipos de musica: evangélicas (gospel) ou do mundo, e dentro delas todos os gêneros que conhecemos. Certo?
Bom, sendo assim, se é do mundo não deveria fazer parte de nossas vidas...
Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia. (João 15:19)
Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus. (Tiago 4:4)

Mais que mal pode existir em ouvir musicas do mundo que falam de coisas boas, como amor, paz e até mesmo sobre Deus...?
O problema é a inspiração destas musicas.
As musicas evangélicas são inspiradas pelo Espírito Santo ou para Ele (ou pelo menos deveriam ser). Já as musicas do mundo são inspiradas em qualquer coisa que se pode imaginar, ou são consagradas a coisas ou pessoas... Um exemplo clássico era dos Beatles, que a cada disco gravado, iam todos para Índia a fim de consagrar à deuses daquele lugar.

E quanto ir a show de banda do mundo?
Aí é pra acabar mesmo né...
Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. (Salmos 1:1)

Claro que é quase impossível não ouvir musicas do mundo, pois elas estão em quase todos os lugares, bombardeando nossos ouvidos.
Então quando estamos no controle o ideal seria ouvir apenas musicas evangélicas (que por sinal tem pra todo gosto).
Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel. (Salmos 22:3)
Se Deus habita em meio aos louvores, esse já é o motivo mais que suficiente para ouvirmos apenas musicas evangélicas...

15 de jul de 2011

MUSICA (LOUVOR) Parte 1

Alguém não gosta de musica? Difícil né?
Porque o mesmo DEUS que nos criou também criou a musica para SEU louvor. Certo?
Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa.
Louvai-o com o tamborim e a dança, louvai-o com instrumentos de cordas e com órgãos.
Louvai-o com os címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes.
Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR. (Salmos 150:3-6)

A musica é capaz de nos trazer diferentes sensações: como angustia, medo, tristeza, relaxamento, alegria, entusiasmo...
Mas será que todo gênero musical pode ser usado para adoração?
Se pensarmos friamente em relação à harmonia, podemos dizer que toda musica (gênero) pode (deve) ser feitas para adoração do nosso DEUS, porem se prestarmos atenção para o que “certos” ritmos nos faz lembrar, talvez tivesse que descartar alguns gêneros do repertório. Exemplo:

Funk = Só me faz lembrar de chão chão chão... (já pensou a igreja inteira quebrando até o chão...) agora velocidade cinco.

Axé = Me faz lembrar de... ... bota a mão na cabeça que vai começar...

Rock rave metal = já estou vendo os crentes de roupa preta batendo cabeça... muito bom... rsrsrs

Samba = Uma galera sambando... e a maioria tentando sambar...  rsrsrs
E aí vai até onde sua imaginação puder ir.

E se usarmos estes mesmos ritmos para evangelização mundo a fora???
Será que estes deixariam de ser inadequados?
Acho que não; minhas impressões continuam as mesmas, independente de onde são tocadas (exceto o pagode, que tem sido muito bem usado para adoração)...

Então posso concluir: que se pode tocar fora da igreja também pode ser tocado no culto de domingo... e não adianta torcer o nariz...
Concordam???
Está aqui uma amostra!!!